04 outubro 2006

Apresentando a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

ORQUESTRA DE CÂMARA DE CASCAIS E OEIRAS
Com uma média de 70 actuações por ano, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras tenta abranger o maior número de público possível, chegando cada vez mais perto da população. Com obras e compositores das diferentes épocas e estilos, estreias absolutas e contando como solistas com alguns dos melhores artistas nacionais e internacionais, a OCCO eleva a qualidade do seu trabalho ao mais alto nível artístico. Os concertos da temporada são já considerados uma tradição nas actividades dos dois concelhos.
O público que enche as salas dos “Concertos de Ano Novo”, “Concertos da Primavera, Verão e Outono”, “Concertos de Páscoa” e Natal” e a sua calorosa resposta provam que o nome da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras é reconhecido pelo seu profissionalismo e qualidade. A Temporada é seguida com atenção por muitos amigos da música como comprovam as simpáticas cartas, mensagens e telefonemas que recebe durante todo a ano. O principal objectivo da OCCO continua a ser servir os munícipes de Cascais e de Oeiras oferecendo-lhes concertos de elevada qualidade artística. A fácil articulação com os diversos serviços dos principais patrocinadores da OCCO – as Câmaras – é uma prova da excelente colaboração entre o município e uma associação, em nome da arte e a cultura.
Com uma forte aposta na juventude, a Direcção da OCCO sente-se extremamente satisfeita com o facto de haver um crescente número de jovens a procurar a orquestra, como a instituição onde desejam fazer a sua carreira profissional. Em Julho de 2004, mais três instrumentistas finalizaram o seu estágio de dois anos com a OCCO, perfazendo um total de sete finalistas, dos quais quatro passaram a membros efectivos da Orquestra. Um momento de especial significado para a Associação foi a decisão tomada este ano pela CMC de reconstrução de um edifício no Monte Estoril, que será a sede da OCCO e da Escola de Música Concertino, com projecto aprovado e início das obras previsto para 2005. Tanto este facto como a decisão da C. M. Oeiras em oferecer um espaço de ensaios à orquestra em Linda-a-Velha são provas de apreciação do trabalho, por parte dos dois municípios. O repertório continua a ser inovador, abrangendo peças e autores, desde os menos conhecidos até àqueles que fazem parte do património musical de todos os tempos.

1 Comentários:

Anonymous mario antunes disse...

Alem da participação desta Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras ainda actuou a soprano Ana Madalena Moreira.
Eu assisti

2:49 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial