31 janeiro 2013

Choupos ...arvores a abater?



Os choupos (género Populus) e salgueiros (género Salix), por pertencerem à mesma família botânica, têm algumas características em comum. Uma delas é que, tal como os animais, as populações destas árvores estão organizadas por sexos. Há árvores masculinas e árvores femininas: só as primeiras é que produzem pólen e só as segundas é que produzem sementes.
As flores masculinas dispõem-se em amentilhos flexíveis, largando o pólen quando o vento as agita; excepcionalmente, o transporte do pólen para as árvores femininas pode também ser feito por insectos devidamente recompensados com néctar. Depois de polinizadas, as flores femininas convertem-se em frutos que, abrindo-se, deixam ver os tufos de «algodão» que rodeiam as sementes. Esse «algodão» é o modo de as sementes criarem asas e serem dispersadas pelo vento a grandes distâncias. Entre fins de Abril e princípios de Maio, quando as sementes são libertadas, andam flocos brancos pelo ar como se caísse uma neve seca. Em muitas cidades de Portugal, onde o choupo híbrido (Populus x canadensis) foi plantado em larga escala, é essa a altura de as pessoas se queixarem das suas alergias, atribuindo as culpas àquilo a que chamam pólen dos choupos.

Há aqui, evidentemente, vários equívocos. Chamar pólen às sementes do choupo é tão disparatado como chamar pólen às pevides de uma laranja.
E esse algodão que envolve as sementes, podendo ser motivo de algum incómodo, não é o responsável pelas alergias. São os pólenes invisíveis de que o ar está carregado - produzidos por gramíneas, por árvores de fruto, e até por ervas espontâneas como a Parietaria judaica - que provocam as reacções alérgicas.
Mas como o que se vê é o «pólen dos choupos», toca de amaldiçoar a árvore e exigir o seu abate. Decorre no país, de norte a sul, uma caça ao choupo que parece uma caça às bruxas. É sempre mais fácil gratificar a ignorância (como se faz em vergonhosas notícias na imprensa, em que até uma «especialista» patenteia a sua incompetência) do que tentar corrigi-la.

Por vezes fala-se de álamos... É uma palavra mais usada na literatura do que no falar comum.
Mas o que são álamos?
Álamo, pópulo ou choupo são as designação vulgares das árvores do género Populus da fam. das Salicáceas (família a que pertence por exemplo o salgueiro-chorão), sendo mais usual a última designação: choupo (alamo em castelhano). O termo faia, que também aparece em nomes compostos para designar algumas destas árvores, induz em erro pois as verdadeiras faias pertencem a outro género.

No livro A árvore em Portugal de Francisco Caldeira Cabral e Gonçalo Ribeiro Teles são listados como espontâneos em Portugal:
o choupo-branco ou faia-branca (Populus alba),
o choupo-tremedor ou faia-preta (Populus tremula),
o choupo-cinzento (Populus canescens) e
o choupo-negro (Populus nigra).

Mas há outras espécies de choupos.

Etiquetas:

5 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Realmente trata-se de árvores bonitas e enormes, pena que não se encontrem a cerca de 3 metros e rodeando toda a sua casa num plano superior a esta, como a minha. Assim poderia admirar melhor os seus prejuizos, com a sua sombra, o dito algodão para ñ poder abrir janelas e colocar roupas a secar ou mesmo pôr o nariz fora de casa, apanhar com as folhas no outono e vê-las abanar como bandeiras ao vento enquanto se reza para que não caiam,assim como limpar telhado e caleiros pelo menos 2 vezes por ano.
por favor deixem-se de lirismos e filosofias baratas.
logo que possivel e ñ vai demorar mt estas lindas vão desaparecer e acabar com a minha tortura.

1:34 da manhã  
Anonymous Marlene disse...

O mal dessa situação é precisamente a localização errada do choupo.
Ou a árvore ou a casa !Se a casa já existia então o local para a plantação da árvore foi mal planeado. Depois geram-se situações dessas em que ganha quem tem poder e uma moto-serra.
Marlene

2:59 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Coitadinho de ti deves ser a pessoa mais torturada no mundo inteiro... A tua solução portanto é quando tens um problema é mandar ligo a arvore ao chão. Não queria nada ser teu vizinho se tivesse um bebe e ele te acordasse a noite com o choro a tua solução qual era cortar-lhe o pescoço?

12:40 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Com as podas que têm feito nos ultimos anos não ha duvida que os choupos irão desaparecer, quer os femininos quer os masculinos.
daqui a uns anos, os nossos netos irão perguntar: - O que é um choupo?.
Tambem daqui a uns anos e com as pragas que por aqui andam, nem pinheiros nem palmeiras existirão.
Deviam ter melhor atenção, pois a Portela é um verdadeiro Jardim Botanico com as ja centenas de especie por ca plantadas. Mereciam classificação para que se conhecessem bem.

5:56 da tarde  
Blogger Unknown disse...

Acabo de plantar 4 Choupos em minha casa e espero que se desenvolvam e tenho a certeza que ninguém vai implicar com eles... sorte a minha que aqui no campo, embora a 30 km de Lisboa é campo, ninguém se importa com essas coisas, aliás, apesar das gramíneas e pólens são raras as pessoas que tem alergias

4:00 da tarde  

Publicar um comentário

Subscrever Enviar feedback [Atom]

<< Página inicial